“Os 33”

Os 33 (filme de 2015)

Este é não apenas um filme baseado em fatos reais, mas também uma obra cujo contrato foi assinado no calor do momento: pelo mesmo cano usado para receber água e comida, os mineiros receberam a proposta de Hollywood (que comprou todos os direitos dessas histórias de vida para sempre).

Como se já não bastasse essa apropriação da tragédia, o filme é o típico retrato estadunidense sobre o restante da América: bota o Antonio Banderas, o Rodrigo Santoro e mais alguns atores latinos… para falarem inglês. Por que a preocupação, então, de buscar atores do lado sul da América? Porque eles têm “cara” de latinos?

O filme não só pasteuriza a ideia de latinidade (partindo do pressuposto de que todos são iguais), como reforça o preconceito dos mineiros chilenos em relação ao único boliviano. Ainda que esse preconceito existisse, a produção não o discute criticamente; pelo contrário, o reforça, ajudando a ridicularizar o seu personagem boliviano.
O único ponto positivo da obra é mostrar o quanto os donos da mina não se importaram com a tragédia de seus funcionários. No entanto, até isso é discutível: no final, por exemplo, enquanto é relatado que os mineiros não foram indenizados até hoje, toca uma musiquinha alegre de fundo. Afinal, para que se preocupar com os dramas desses mineiros? O importante é o espetáculo.

 

 

 

 

https://www.youtube.com/watch?v=qhnCVsUaAEY
#cin&mochila
Anúncios

E aí, o que achou? Diz pra gente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s